Endoscopia Digestiva Alta (EDA)

Gastrite

A Endoscopia Digestiva Alta é um exame realizado sob sedação, que através de uma câmera acoplada em um tubo flexível é possível diagnosticar ou tratar diversas doenças do aparelho digestivo, como úlceras, gastrite ou tumores.

A Clínica Cirúrgica Chapecó conta com profissionais especializados, possui equipamentos de última geração, todas as certificações e todo suporte para realização de exames de endoscopia sob sedação ou anestesia geral. 

​É realizado na Clínica, de forma ambulatorial, não precisa internação hospitalar.

Se você ou algum familiar vai realizar o exame, no dia do exame LEMBRE-SE:

- Ter um acompanhante (obrigatório para exames com sedação);

- Ter em mãos documentos pessoais;

- Trazer a guia do pedido médico do exame;

- Trazer todos os exames anteriores e recentes (todos que tiver);

- Fazer o preparo completo conforme orientações.

Leia abaixo o informativo do procedimento, orientações sobre o preparo e orientações após a alta de exames sob anestesia ou sedação.

Qualquer dúvida sobre os procedimentos entre em contato através do Chat, Whatsapp ou telefone.

Faça o Download do Termo de consentimento, informativo, orientações e preparo abaixo. 

Veja abaixo algumas imagens endoscópicas realizadas na Clínica Cirúrgica Chapecó:

Balão Intragástrico

Atrofia Gástrica

Pólipo Gástrico

Esofagite

Úlcera Gástrica

Tumor Gástrico

Informativo do Procedimento ENDOSCOPIA DIGESTIVA ALTA (EDA) OU ESOFAGODUODENOSCOPIA

 

O que é a Endoscopia Digestiva Alta ?

É um exame que permite ao médico examinar o revestimento mucoso da parte superior do trato gastrintestinal que inclui o esôfago, o estômago e o duodeno até a 2ª porção, considerado a primeira parte do intestino. É realizada se introduzindo um tubo flexível, através da boca, sob sedação. Esse tubo contém uma lente, luzes e um canal onde o médico poderá trabalhar para coletar material ou realizar algum tratamento. Dessa forma, a Endoscopia digestiva alta auxilia no diagnóstico de doenças do aparelho digestivo alto através de biópsias, no acompanhamento de seu tratamento e também na remoção de lesões como pólipos, tratamento de úlceras hemorrágicas, varizes de esôfago e outros procedimentos terapêuticos.

 

Na Clínica Cirúrgica Chapecó é realizada com equipamentos de última geração, que oferecem imagens de alta definição. Antes de seu uso, todos os endoscópios (aparelhos que permitem a visualização interna do esôfago, estômago e duodeno) passam por rigorosos processos de desinfecção.

 

É possível que seu médico ou membro de equipe se refira à endoscopia digestiva alta com outros nomes ou siglas como: esofagogastroduodenoscopia, endoscopia do esôfago, estômago e duodeno, EGD ou EDA.

 

O médico e/ou a enfermeira fará uma entrevista, investigando possíveis patologias, reações alérgicas, cirurgias anteriores e se já realizou procedimento de endoscopia anteriormente. Caso afirmativo, o laudo se faz necessário. Você precisará colocar uma vestimenta da clínica, remover seus óculos, lentes de contato e prótese dentária.

Por que se faz uma endoscopia digestiva alta?

 

A EDA é utilizada, principalmente, no auxilio diagnóstico e tratamento de algumas doenças que causam dor abdominal superior, náuseas, vômitos, queimação retroesternal, dificuldade ou dor para a deglutição e na suspeita de corpo estranho. Atualmente, é o melhor exame para localizar a causa de um sangramento digestivo alto. Os sintomas acima podem aparecer em grande número de doenças benignas ou malignas e, muitas vezes, o exame endoscópico é imprescindível para o diagnóstico ou tratamento.

 

A EDA de rotina é normalmente realizada para o exame endoscópico do esôfago, estômago e duodeno e para a realização de biópsias destes segmentos. Contudo, outras possibilidades de procedimentos podem ocorrer durante o exame.

 

Devo realizar algum preparo?

 

Para a realização de um exame seguro, é necessário um jejum completo de oito horas. Este cuidado é importante, pois minimiza o risco do refluxo de alimentos que podem ir para o pulmão. Embora rara (inferior a 0,1%), essa aspiração do conteúdo gástrico pode provocar uma pneumonia grave.

 

O exame exige cuidados com o uso de medicações?

 

A maioria dos remédios deve ter seu uso continuado, principalmente antibióticos, anti-hipertensivos, remédios para o coração e anticonvulsivantes que, no dia do exame, devem ser tomados com uma xícara de água (50 ml). Alguns fármacos podem interferir com o preparo ou com os procedimentos do exame. Assim, no momento do agendamento e antes do exame, não se esqueça de relatar todos os medicamentos em uso (inclusive os considerados naturais). Alguns anticoagulantes devem ser suspensos com dias de antecedência e outras medicações como hipoglicemiantes orais e insulina podem necessitar de ajustes. Siga rigorosamente as orientações que lhe foram dadas no momento da marcação de seu exame.

 

Informe seu médico se o Sr(a) tem orientação para o uso de antibióticos antes de procedimentos odontológicos ou cirúrgicos e não esqueça de relatar qualquer tipo de alergia ou reação que teve a alimentos, medicamentos, sedativos e anestésicos.

 

Como é feito o exame de Endoscopia Digestiva Alta?

 

O Sr.(a) será encaminhado para sala de exames por um profissional da equipe de enfermagem e será oferecida medicações orais para eliminar bolhas de ar, facilitando a visualização do estômago e do duodeno. Você será colocado numa posição adequada, ou seja, deitará sobre o lado esquerdo. Um protetor plástico será colocado entre seus dentes para manter sua boca aberta durante o procedimento. Um tubo flexível, fino e pequeno será passado através de sua boca e é conduzido suavemente até o duodeno. Por meio dele, o médico será capaz de identificar qualquer anormalidade que possa estar presente, inclusive pesquisar amostras de tecido (biópsias) colhidas durante o exame para análise laboratorial detalhada. Não causa dor. Alguns tratamentos podem ser realizados pela endoscopia. Estes incluem dilatação de uma área estreitada do esôfago, estômago e duodeno, remoção de pólipos, objetos deglutidos e tratamento de vasos sangrantes e úlceras por injeção interna ou aplicação de calor (usando corrente elétrica diatermal, laser, argônio ou heater probe).

 

Um anestésico tópico (spray) será "borrifado" na sua garganta, permitindo a passagem do aparelho sem provocar dor ou náuseas. Uma medicação para relaxar ou mesmo um anestésico será aplicado na veia momentos antes de iniciar o procedimento, para fazer você adormecer.

 

Essa medicação provoca sono e esquecimento por algum tempo. Por isso você não deve dirigir após o procedimento ou realizar tarefas que necessitem de atenção, como operar máquinas ou tomar decisões importantes, já que a sedação diminui seus reflexos e seu raciocínio. Deve vir acompanhado de uma pessoa que lhe conduza para casa.

 

Durante a Endoscopia podem ser necessários Procedimentos Complementares?

 

Durante o exame, podemos deparar com alterações que indicam a realização de biópsias. Na presença de sangramentos podem ser necessários instrumentos hemostáticos como agulhas (para injeção de medicamentos), cautérios, clipes metálicos e ligaduras elásticas, introduzidos pelo endoscópio através de seu canal terapêutico.

 

Se forem encontrados pólipos, dependendo do aspecto e tamanho, pode-se realizar a ressecção endoscópica destes com alças de polipectomia. Estreitamentos (estenoses) podem necessitar de tratamento com instrumentos dilatadores e corpos estranhos podem ser retirados com pinças apropriadas.

 

Para tanto, a infra-estrutura de nossa sala de exame foi equacionada visando à realização de exames de alta complexidade com o máximo de conforto e segurança para o paciente.

O que acontece após a endoscopia digestiva alta?

 

Terminado o exame, o paciente é encaminhado para a sala de recuperação pós-anestésica onde é monitorado até que esteja bem acordado e tenha condições de alta.

 

Após o exame, normalmente o paciente não apresenta sintomas, sendo raras as manifestações de náuseas, desconforto na garganta e dor abdominal, sintomas estes que melhoram sem tratamento em algumas horas.

 

A equipe da endoscopia irá informá-lo(la) caso exista algum cuidado especial não previsto antes do exame.

 

Por que preciso de um acompanhante e não posso voltar às minhas atividades normais logo após o exame?

 

Respeitando critérios de segurança e as normas da legislação Brasileira é obrigatória a presença de um acompanhante até o retorno do paciente à sua residência. É proibido dirigir e tomar decisões importantes nas 12 horas seguintes ao exame, pois, devido aos medicamentos usados o paciente pode se manter sonolento e com retardo dos reflexos.

 

O que vou poder comer após a Endoscopia?

 

Depois de ser liberada, a maioria dos pacientes pode voltar à sua dieta habitual. No entanto, no dia do exame, aconselhamos que evite abusos. Lembre-se de manter suas eventuais restrições médicas de dieta. A equipe da endoscopia irá informá-lo(la) caso exista alguma restrição que não estava prevista antes do exame.

 

Quais as possíveis complicações com a realização do exame?

 

Apesar de todos os cuidados tomados, algumas complicações leves podem ocorrer. A incidência geral de complicações em EDA é rara, em torno de 1:10.000 exames. Complicações maiores são extremamente raras e incluem reações medicamentosas, sangramento, perfuração, complicações cardíacas e pulmonares. Nossa clínica esta equipada para tratá-las prontamente e nossa equipe está à disposição para lhe esclarecer eventuais dúvidas, portanto, não hesite em indagar o médico ou a enfermeira.

 

Após o exame, a persistência ou exacerbação de sinais e sintomas como náuseas, vômitos, dor, sangramento, febre, distensão abdominal, fraqueza, taquicardia e outros, merece atenção e o paciente deve comunicar seu médico ou se dirigir a clínica ou hospital para ser avaliado pela equipe médica. Lembramos que após exames com procedimentos complementares um discreto sangramento é esperado durante a primeira semana.

 

Possíveis complicações

• Flebite (inflamação no local da aplicação do medicamento)
• Muito raramente, pode ocorrer depressão respiratória que será revertida com tratamento adequado
• Raramente podem ocorrer perfurações e hemorragias - casos extremos (e muito raros), necessitando de internação e eventual tratamento cirúrgico se necessário.

 

Sinais de alerta a serem observados:

Dor abdominal intensa
Temperatura maior que 38ºC e calafrios
Vômitos com ou sem a presença de sangramento Sangramento escurecido nas fezes

 

AVISOS IMPORTANTES

• Não se esqueça de trazer todas as suas endoscopias, ultra-sonografias, tomografias e outros exames recentes e antigos. Estes poderão ser úteis para um exame mais preciso.

• O serviço de endoscopia desta clínica realiza exames de pacientes ambulatoriais e internados, portanto emergências e imprevistos podem acontecer levando a atrasos inesperados. Nestas situações nossa equipe está sempre preocupada em encontrar soluções que viabilizem seu atendimento no menor tempo possível.

• O não cumprimento cuidadoso das instruções recebidas, variações pessoais nas respostas fisiológicas ou a medicamentos utilizados no preparo podem acarretar em retardo no horário do exame ou mesmo na necessidade de sua reprogramação.

 

As informações precedentes têm como finalidade oferecer uma orientação geral. É muito importante que o paciente consulte seu médico sobre sua condição específica. Apesar de ser um exame coberto pela maioria dos convênios, alguns materiais para procedimentos e algumas medicações de uso extraordinário podem não estar incluídos na sua cobertura.

IMPORTANTE: 

Como os exames são realizados sob sedação, você deve seguir algumas orientações:

Orientações de alta após procedimentos com anestesia e/ou sedação

 

 

 

Recomendações:

Após a realização de procedimentos em que o paciente tenha sido submetido a anestesia e/ou sedação, é importante ter alguns cuidados, visto que o efeito das medicações pode permanecer por até 24 horas.

 

• Não tome nenhuma decisão importante ou assine documento legal;

 

• Não deixe a clínica sem a presença de um acompanhante;

 

• Não dirija veículo motorizado ou opere maquinário perigoso;

 

• Evite trabalhos que exijam concentração ou precisão de movimentos;

 

• Não pratique atividades esportivas ou escolares;

 

• Não faça uso de bebida alcoólica já que seus efeitos poderão potencializar a ação do anestésico;

 

• Faça uma refeição leve antes de reiniciar sua alimentação normal ou siga orientação do seu médico;

 

• Entre em contato com seu médico ou com a clínica caso apresente algum sintoma como náusea, vômito ou dor.