Psicologia no tratamento da Obesidade

 

 

A obesidade é uma doença multifatorial, ou seja, vários componentes influenciam, dentre eles, fatores psicológicos. A Psicologia atua nas questões emocionais e comportamentais do paciente que deseja emagrecer, buscando a melhora na qualidade de vida, relação com seu corpo e alimentação. 

 

O objetivo principal da avaliação psicológica é identificar e tratar alterações psicológicas e ou aspectos emocionais que possam prejudicar o sucesso do tratamento, bem como ajudar o paciente a compreender a sua forma de se alimentar no presente e ao longo dos anos além da influência do seu estilo de vida sobre sua saúde.

Em se tratando de pacientes obesos mórbidos, podemos afirmar que a imensa maioria dos que chegam à Cirurgia Bariátrica traz alterações emocionais. Essas dificuldades de natureza psicológica podem estar presentes entre os fatores determinantes da obesidade. A avaliação e preparo psicológico é de fundamental importância no tratamento da obesidade sendo indispensável tanto no pré quanto no pós-operatório.

 

A psicóloga irá se ater a problemas que tenham contribuído para a instalação da obesidade, ou que tenham surgido em conseqüência desta, sendo um trabalho especialmente dirigido para a cirurgia, e diferindo das conhecidas sessões psicanalíticas.

 

É indispensável que o doente tenha a intenção de mudar seu hábitos de vida e que permaneça sob o acompanhamento multidisciplinar, deste modo, a psicóloga poderá contribuir muito para uma boa cooperação e uma boa aderência à equipe e às rotinas.

 

O acompanhamento psicológico irá ajudar a traçar metas realistas quanto a perda de peso e a imagem futura, e auxiliar na reintegração do indivíduo com o meio em que vive e consigo mesmo. As mudanças em sua dieta e estilo de vida, após a cirurgia de obesidade, vão durar a vida toda. E você terá uma chance maior de sucesso a longo prazo, se estiver cercado de pessoas que entendem e apóiem suas metas.

 

Muitos pacientes resistem ao atendimento psicológico na etapa pré-cirúrgica, alegando não ter necessidade, pois já estão decididos: querem submeter-se à cirurgia da obesidade. O atendimento psicológico não visa convencer ninguém a fazer ou não a gastroplastia e sim preparar essa pessoa, para que possa passar pelo processo cirúrgico e, conseqüentemente, de emagrecimento, de forma saudável e tranqüila.

O que é trabalhado no acompanhamento psicológico?

 

- História de vida e do ganho de peso;

- Manejo de emoções;

- Transformação na relação com a comida;  

- Percepção de gatilhos que levam a comer em excesso;

- Mudança de comportamento alimentar;

- Estratégias de mudança de hábito;

- Imagem corporal;

- Conflitos emocionais.