Plasma de Argônio (APC) - Reganho de peso pós cirurgia bariátrica

 

Alternativa para reganho de peso pós cirurgia bariátrica realizado por endoscopia

 

Atualmente no mundo são realizadas aproximadamente 500 mil cirurgias bariátricas por ano. Uma pequena parcela destes pacientes após alguns anos reganham o peso perdido na cirurgia bariátrica inicial. 

 

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM), estima-se que nos últimos dez anos cerca de 400 mil brasileiros se submeteram a cirurgia bariátrica para perda de peso. Contudo, mais de 15% desses pacientes voltaram a reganhar peso após algum tempo de operado.

 

Esses pacientes voltam a engordar, a apresentar toda a gama de doenças associadas à obesidade como diabetes, hipertensão arterial, dislipidemia (aumento do colesterol e triglicerídeos), apnéia do sono, artropatias e sem contar a baixa auto-estima e problemas psicológicos ou psiquiátricos.

 

Causas potenciais do reganho de peso

 

Com o passar dos meses e anos, ocorre:

 

· Aumento do apetite;

· Aumento da capacidade reservatória do estômago operado; 

· Aumento na ingesta de carboidratos como doces, massas e álcool;

· Sedentarismo; 

· Perda de massa magra com o emagrecimento, levando a um gasto energético ainda menor; 

· Permanência das pressões sociais e culturais na vida dos pacientes; 

· Perda do seguimento com a equipe multidisciplinar como n utricionista, psicóloga e endocrinologista.

 

Outras causas de reganho de peso ou de perda insuficiente são a má escolha da técnica cirúrgica pelo paciente ou cirurgião e as alterações anatômicas no estômago operado como a dilatação (alargamento) da saída deste estômago para o intestino, chamada de anastomose (no caso da cirurgia de Capella / By pass Gástrico).

 

TRATAMENTO

 

Todos os tratamentos para a obesidade devem abranger as causas multifatoriais dessa doença. Então, o paciente inicialmente deve ser reintroduzido na equipe multidisciplinar como nutricionista para adequar a alimentação; psicóloga para diagnosticar e tratar ansiedade e demais transtornos do apetite e retorno à atividade física.

Fulguração da anastomose com o plasma argônio por endoscopia.

 

INDICAÇÃO DO PROCEDIMENTO

 

Este procedimento é indicado apenas para pacientes operados por Cirurgia Bariátrica, pela técnica do Bypass Gástrico (Fobi-Capella, Wittgrove-Clark, Higa).

 

O método é indicado para pacientes que iniciaram o reganho de peso, ou que interromperam a perda de peso ainda apresentando índices de obesidade. 

 

O Plasma de Argônio começa a ser indicado, em média, com tempo mínimo de 12 a 24 meses após a cirurgia inicial.

A casuística dos pacientes pós-operados com reganho de peso tem aumentado devido ao grande volume de Cirurgias Bariátricas no Brasil, além dos seus mais de 20 anos de realização. 

 

Portanto, aqueles que não aproveitaram todo o auxílio que a cirurgia trouxe nos primeiros anos para mudarem seu estilo de vida, encontram no Plasma de Argônio um novo auxiliador para remodelar uma anastomose justa.

 

CONTRAINDICAÇÕES

 

· Não há contraindicações absolutas.

· Não é indicado para pacientes com anastomose justa ou com diâmetro menor que 1 cm.

· Úlceras ativas na região da anastomose

· Distúrbios graves de coagulação

 

Como é realizado o procedimento ? 

 

A aplicação do plasma de argônio atua em uma das principais causas do reganho de peso que é a a dilatação da anastomose gastro-intestinal feita na cirurgia.

Trata-se de um procedimento feito por Endoscopia Digestiva Alta e sedação venosa. Realiza-se a fulguração (cauterização) endoscópica na anastomose cirúrgica, com o plasma de argônio, a fim de reduzi-la novamente ao tamanho ideal para perda de peso e reinício do tratamento com supervisão da equipe multidisciplinar.

 

O procedimento dura em média 10 a 15 minutos, de acordo com o tamanho do novo estômago (coto gástrico) de cada indivíduo. há necessidade de internamento e a sedação é acompanhada por médico anestesista.

Aplicação de Plasma de Argônio

anastomose dilatada

aplicação de Plasma de Argônio

anastomose reduzida após sessão de argônio

QUANTAS SESSÕES DE ARGÔNIO PRECISO FAZER?

 

São necessárias em média 2 a 3 sessões, de acordo com a resposta do organismo de cada indivíduo. Recomenda-se o controle endoscópico a cada semestre inicialmente, espaçando para acompanhamento anual a seguir. De acordo com o quadro clínico e sintomas nutricionais.

  

RESULTADOS

Estima-se que a perda de peso alcance em média 20 % do peso inicial ou 50 a 70% do excesso de peso atual, podendo atingir valores acima desta média, desde que o paciente siga o programa multidisciplinar corretamente. 

 

Lembramos que todos os métodos de emagrecimento são meios para auxiliar e acelerar a perda de peso, não podendo garantir resultados.

 

SEGURANÇA

É um procedimento realizado em nível ambulatorial, não há necessidade de internamento hospitalar

 

Todos os pacientes devem ser submetidos à uma dieta progressiva liquido-cremoso-pastoso-sólido após o procedimento. A progressão deve respeitar também a quantidade do que pode ser ingerido. Isso evita vômitos precoces, traumas sobre a região em que foi aplicado o plasma de argônio, evitando úlceras, hemorragias, perfurações, dores.

 

Existe baixo risco de a aplicação causar uma cicatrização muito intensa e provocar um estreitamento (estenose) da anastomose acima do esperado. Se isto ocorrer, será necessário nova abordagem com dilatação da anastomose por endoscopia.

 

 

EFEITOS COLATERAIS

· O efeito colateral mais comum, especialmente após a primeira sessão, é DOR. É uma sensação semelhante a gastrite. O sintoma permance por 2 a 3 dias e é mais intenso nas primeiras horas após o procedimento.  Normalmente esse sintoma é facilmente coibido com medicamentos adequados.

· O paciente está liberado para suas atividades habituais no dia seguinte e para atividades físicas 3 dias depois do procedimento.

· Comprimidos polivitamínicos devem ser ingeridos triturados.

 

EQUIPE MULTIDISCIPLINAR

O propósito do tratamento endoscópico com Plasma de Argônio vai muito além do que o simples retorno do emagrecimento. Todo procedimento que visa perda de peso torna-se obsoleto em curto, médio ou longo prazo, caso não se faça paralelamente um trabalho com equipe multidisciplinar.

 

Nosso objetivo é reforçar os pilares do emagrecimento saudável, reintroduzindo a mudança do estilo de vida e a reeducação alimentar como base para perda e manutenção do peso a longo prazo. Sem esse acompanhamento, todo resultado alcançado com o método pode ser colocado em risco com novo reganho de peso.

 

DIETA PÓS-PROCEDIMENTO DE ARGÔNIO

 

Todos os pacientes são submetidos a uma dieta progressiva líquido-pastosa após cada sessão. Ela progride à medida que a fome vai retornando. Além disso, a dieta líquida é de suma importância para evitar complicações e se ter boa adaptação ao procedimento.

Nesse período, faz-se necessário a trituração dos comprimidos polivitamínicos.

 

ACOMPANHAMENTO CLÍNICO-NUTRICIONAL 

Todos os pacientes são acompanhados de forma personalizada por um período médio de 6 meses, tempo mínimo sugerido para reintrodução de hábitos saudáveis alimentares. Faz-se necessário o retorno médico após cada sessão de tratamento.

Após o 1º semestre de tratamento multidisciplinar, orienta-se espaçar as consultas priorizando o controle nutricional bimestral.

 

RETORNO ÀS ATIVIDADES DIÁRIAS

O Plasma de Argônio normalmente não interfere nas atividades cotidianas. Orienta-se o retorno ao trabalho no dia seguinte e o retorno às atividades físicas em 1 a 2 dias, de acordo com a recuperação individual de cada paciente.

 

CONTRAINDICAÇÃO

Apesar de não existir contraindicação absoluta, não indicamos o tratamento caso a anastomose entre o estômago e o intestino esteja justa, ou seja, medindo 1,0 cm ou menos.

Neste caso, o paciente é avaliado pela equipe multidisciplinar a fim de diagnosticar outras causas para o reganho de peso que não seja pelo alargamento da anastomose pós-cirurgia bariátrica.

 

É COMUM SENTIR DOR?

Espera-se que o paciente apresente discreta sensação de desconforto, semelhante a uma gastrite leve. O sintoma tende a permanecer nos primeiros três dias, regredindo progressivamente dentro da 1ª semana, e principalmente na primeira sessão. Em caso de efeitos colaterais, o paciente tem à disposição uma equipe médica de sobreaviso por 24 horas para dirimir dúvidas e realizar pronto-atendimento.

 

RISCOS

Um dos objetivos de uma dieta progressiva após a realização do método é reduzir o desconforto após as sessões. Além disso, evita que os alimentos traumatizem essa área cauterizada e possa causar vômitos, sangramento e úlceras, que são possíveis porém raras complicações do método.

 

Existe um baixo risco de desenvolver uma cicatrização mais intensa no procedimento e ter um estreitamento da anastomose acima do esperado. Neste caso, pode ser preciso dilatá-la novamente por endoscopia, sendo este um novo procedimento diferente deste.

 

VANTAGENS

· Bastante seguro, com baixíssimo índice de complicações graves

· Tratamento ambulatorial: o paciente realiza o procedimento e recebe alta no mesmo dia e não há necessidade de centro cirúrgico.

· Resultados satisfatórios (segundo os estudos clínicos) com poucas sessões

· Tratamento pouco sintomático após a sessão de aplicação

· Tratamento endoscópico, minimamente invasivo, sob sedação endoscópica, sem necessidade de anestesia geral.

· Custo menor que os métodos disponíveis atualmente

· Não há necessidade de afastamento do trabalho

 

DESVANTAGENS

· É necessário mais de uma sessão normalmente

· Não há garantias de resultados e pode haver recidiva com o tempo.

· Há efeitos colaterais raros como dor abdominal (menos de 5%)

 

· Lembre-se: argônio sozinho não é milagroso, é necessária a mudança no estilo de vida do paciente, a atividade física, o acompanhamento psicológico e a disciplina alimentar.

  

Registro do procedimento do Plasma de Argônio

Registro pela Agencia de Vigilância Sanitária – ANVISA – para uso no Brasil: 10247670044, 10247670033, 10247670038

Saiba mais sobre os outros tratamentos para obesidade: